Entrevista: “As barreiras culturais são as mais difíceis de ultrapassar”

Data

 

No Dia da Acessibilidade, o Vereador Virgílio Ferreira, em entrevista ao Felgueiras Diário fala das barreiras físicas e culturais. A sociedade está mais atenta a este problema, diz, mas ainda há muito a fazer.

Vereador Virgílio Ferreira

Hoje assinala-se o Dia da Acessibilidade. Esta é uma questão que diz respeito a todos ou é uma luta apenas de uma minoria?

Sem dúvida que é uma questão que diz respeito a todos sem excepção. Se pensarmos objetivamente a nossa vida começa com essa necessidade nos carrinhos de bebé e muitas das vezes infelizmente termina no uso de uma cadeira de rodas. Além destas realidades, temos todos aqueles portadores de mobilidade reduzida para quem as acessibilidades são um bem essencial.

Existem muitos muros e barreiras. De que forma se podem eliminar?

As barreiras arquitetónicas são principais pontos negro no que diz respeito a acessibilidade e mobilidade.  A sua eliminação carece primeiramente da sensibilidade de todos e não só responsabilidade exclusiva da autarquia ou do governo. É extremamente importante que todos tenham presentes esta ideologia quando se propõem a reabilitar edifícios, construir a sua habitação própria, entre outros, porque na verdade não acontece só aos outros, sendo assim é importante estarmos preparados e dessa forma  receber um amigo em casa independentemente da sua condição física.

Quais são as barreiras mais difíceis de ultrapassar: as físicas ou as de mentalidade?

As barreiras culturais são sem dúvida as mais difíceis de ultrapassar, às vezes não é fácil passar a mensagem e mudar o chip. É fundamental perceber que uma rampa faz exatamente a mesma função que uns degraus e não é mais dispendioso. Desta forma conseguimos ser abrangentes a toda a sociedade e contribuir de forma positiva para o progresso do concelho e do país.

Uma das principais causas do isolamento e exclusão social das pessoas com deficiência motora é a falta de acessibilidades. De quem é a culpa?

A falta de acessibilidades contribui para a exclusão social, mas na minha opinião não existe exclusivamente um culpado. É um conjunto de situações que assim o dita, sendo difíceis de contornar. É um caminho muito lento face às necessidades, mas o importante é não desistir deste direito.

“A missão do Vereador com o pelouro é principalmente lutar para a inclusão de todos os munícipes, mas em particular das pessoas com deficiência”

O Estado, e nele incluem-se as autarquias, não tem conseguido dar o exemplo nesta questão, pelo menos essa é a ideia geral dos cidadãos. Há passos dados para que as coisas se alterem, em concreto, no concelho de Felgueiras?

A nível governamental a estratégia nacional de inclusão das pessoas com deficiência 2021-2025 tem objetivos claros nesta matéria assim como um planeamento espacial para sua execução.

A nível concelhio já muito tem sido feito desde 2017 nesta matéria e no que diz respeito a  intervenções realizadas entre vias e edifícios públicos, contudo brevemente iremos iniciar um plano amplo que nos irá permitir identificar lacunas e barreiras no concelho de Felgueiras assim como a sua eliminação.

Existe maior abertura da sociedade para a temática das acessibilidades e da inclusão?

Sim, a sociedade está cada vez mais atenta a esta temática, mas ainda não o suficiente por isso é preciso continuar a sensibilizar e informar, tendo aqui a comunicação social um papel muitíssimo importante.

Nas escolas tem sido feito algum trabalho de sensibilização nesta matéria?

A inclusão faz parte do programa curricular embora seja uma matéria sensível que necessita ainda de limar algumas arestas. Em visita a algumas escolas do concelho fui surpreendido positivamente com a audácia e empenho de alguns professores e assistentes operacionais que se reinventam nesta missão.

Têm sido realizadas algumas atividades, que temos intenção de reforçar, ligadas a cidadania onde a acessibilidade está também incluída. Este trabalho nas escolas com os mais pequenos é importante pois estes serão os adultos de amanhã.

Qual é a missão do Vereador na Câmara Municipal com o Pelouro da Acessibilidade?

A missão do Vereador com o pelouro é principalmente lutar para a inclusão de todos os munícipes, mas em particular das pessoas com deficiência. Através da implementação de medidas e projetos, com base nos princípios do ‘Desenho Universal’ e alinhados com os restantes serviços municipais, tenho como objetivo ter um município mais inclusivo e com melhores condições de acessibilidade.

Estou motivado a incentivar e criar condições para a participação ativa de pessoas com deficiência não só com intuito de combater a elevada taxa de desemprego, mas também promover a prática desportiva, o acesso à cultura e educação.

Em suma, em tudo o que possa melhorar a qualidade de vida de todos sempre com a vontade de colocar Felgueiras como um município de referência.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

spot_img

Artigos relacionados

Felgueiras deixou escapar vitória nos descontos

O Felgueiras empatou a uma bola com a Académica, em Coimbra, este sábado. O golo do empate foi marcado...

Família pede ajuda para localizar homem desaparecido

Um homem de Sendim está desaparecido e a família lançou um apelo para tentar localizá-lo. Trata-se de Luís Osório,...

“O jogo é decisivo e por isso temos de o ganhar”

Agostinho Bento, treinador do Felgueiras, considerou que o jogo deste sábado, em Coimbra, com a Académica, é decisivo...

Instituições de Solidariedade recebem 200 mil euros do Município

Mais de 200 mil euros foram atribuídos pela Câmara de Felgueiras às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSSs),...