Calçado: melhores resultados de sempre em mercados internacionais no primeiro semestre

Data

 

Em relação, a 2021, regista-se um crescimento de 22% e 27,5%, respetivamente em quantidade e valor. Trata-se do melhor desempenho de sempre do calçado português nos mercados externos.

Luís Onofre, Presidente da APICCAPS

Quarenta milhões de pares de calçado, no valor de 957 milhões de euros. São estes os dados relativos à exportação do setor no primeiro semestre do ano.

Em relação, a 2021, regista-se um crescimento de 22% e 27,5%, respetivamente em quantidade e valor. Trata-se do melhor desempenho de sempre do calçado português nos mercados externos, ultrapassando mesmo o máximo histórico de 2017, diz a APICCAPS num nota enviada às redações.

Entre janeiro e junho, Portugal exportou mais de 95% da produção de calçado, para 170 países, nos cinco continentes.  

“O calçado português está a crescer em praticamente todos os mercados mais relevantes. Na Europa, o crescimento ascende a 26,2%, com destaque para os crescimentos na Alemanha (mais 17% para 218 milhões de euros), França (mais 31% para 185 milhões de euros) e Países Baixos (mais 31,2% para 146 milhões de euros). De igual modo, continua o bom desempenho no Reino Unido: crescimento de 34% para 55 milhões de euros”, assinala a associação do setor.

O Presidente da APICCAPS acredita que este ano será de forte afirmação do calçado português nos mercados externos. Luís Onofre refere que durante a pandemia foi feito um bom trabalho de casa pelos empresários do setor.

Para a APICCAPS, merece destaque o facto do crescimento do calçado português em mercados extracomunitários.

Nos EUA, em particular, o crescimento é de 66% para 55 milhões de euros. Também no Canadá (mais 32% para 13 milhões de euros), e Japão (mais 45% para 5 milhões de euros) o calçado português está a registar uma excelente performance.  

Relativamente a 2019, o ano imediatamente anterior à pandemia, as exportações portuguesas de calçado estão a crescer 12,2%.

“Acreditamos que 2022 será um ano de forte afirmação do calçado português nos mercados externos”, considera Luís Onofre. “Os dados do primeiro semestre de 2022 confirmam que o calçado português fez, durante a pandemia, os trabalhos de casa e por isso está a ganhar terreno aos seus concorrentes mais diretos”. Importa, ainda assim, de acordo com o Presidente da APICCAPS, estar atento aos sinais exteriores. “Pandemia, Guerra na Ucrânia e Inflação são razões mais do que suficientes para estarmos cautelosos relativamente aos negócios”, referiu.
 
O Presidente da APICCAPS, assinalou ainda que “para que o setor continue os bons desempenhos nos mercados externos, deverá reforçar a aposta na promoção comercial externa”. “Também os investimentos que temos previsto concretizar nos dois próximos anos em matéria de digitalização e sustentabilidade – 140 milhões de investimento no total – criarão as condições para que Portugal seja, cada vez mais, uma referência internacional no desenvolvimento de calçado de excelência”.

Recorde-se que Felgueiras é o concelho que mais exporta calçado no país.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui

spot_img

Artigos relacionados

Felgueiras deixou escapar vitória nos descontos

O Felgueiras empatou a uma bola com a Académica, em Coimbra, este sábado. O golo do empate foi marcado...

Família pede ajuda para localizar homem desaparecido

Um homem de Sendim está desaparecido e a família lançou um apelo para tentar localizá-lo. Trata-se de Luís Osório,...

“O jogo é decisivo e por isso temos de o ganhar”

Agostinho Bento, treinador do Felgueiras, considerou que o jogo deste sábado, em Coimbra, com a Académica, é decisivo...

Instituições de Solidariedade recebem 200 mil euros do Município

Mais de 200 mil euros foram atribuídos pela Câmara de Felgueiras às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSSs),...